Níveis do Usui Reiki Ryoho

O Dr. Mikao Usui nos legou três graus de Reiki que devem ser mantidos intactos em sua essência. Cada nível é ativado por sintonizações e são independentes entre si, ou seja, o aluno que recebe o 1º nível pode parar ou aprender os outros níveis de acordo com sua conveniência.

Entretanto, devido às influencias das correntes ocidentais e acréscimos inseridos no sistema original de Mikao Usui, algumas técnicas foram retiradas, outras inseridas e os níveis sofreram alterações em conteúdo e em número de estágios.

Pelo método original do Reiki, os níveis se dividem da seguinte forma:

SHO DEN

(Grau de Iniciante)
Subdividido em:
LOKU TO (6)
GO TO (5)
YON TO (4)
Ensinado em três dias

OKU DEN

(Grau mais profundo)
Subdividido em:
ZEN KI (3)
KO KI (2)
Ensinado em dois dias

SHINPI DEN (1)

(Grau de algo misterioso)
Subdividido em:
SHIHAN KAKU (assistente do professor)
SHIHAN (professor)

O termo Shihan em japonês significa alguém que dominou suficientemente uma arte e a ensina. É um termo técnico, no entanto os alunos se dirigem ao Shihan o chamando de Sensei.

Algumas escolas de Reiki afirmam que ministram o “ensinamento original” e desprezam todos os outros. A verdade é que não existe um ensinamento original! O Reiki está vivo e, portanto, está sempre em mutação, sempre fluindo e se expandindo. Reiki e dogmatismo não se misturam.


Uma descrição geral de cada Nível e sua função:

O Primeiro Nível

Destina-se a nos religar com a nossa forma física, uma coisa tão perto de nós e ao mesmo tempo tão distante. Normalmente, só sentimos o corpo quando estamos com dor ou mal-estar. O corpo físico é a mais grosseira extensão da nossa alma, um veículo miraculoso que nos permite nos mover por aí, sentir e entender situações sem fim da vida diária. Ajuda-nos a viver (e finalmente a entender) a dor e o prazer, a bem-aventurança e a agonia. Entrar novamente em contato com o corpo nos ajuda a harmonizar o corpo de outra pessoa e, por extensão, o seu ser.

Geralmente, o Primeiro Nível do Reiki consiste de quatro sintonizações e seminários, que podem ser ministrados em um ou dois dias, dependendo da escola e do tamanho do grupo. Algumas escolas, especialmente com professores de Reiki que fazem sintonizações de grandes grupos de uma só vez, fazem a sintonização do Primeiro Nível apenas uma ou duas vezes. O processo de sintonização difere um pouco de escola para escola, mas todos funcionam.


O Segundo Nível

Faz entrar ainda mais em nós mesmos e nos dá instrumentos mais poderosos para nos descobrirmos e nos integrarmos. Com a ajuda de vários símbolos, aprendemos a deixar a energia vital universal fluir mais eficientemente. O Segundo Nível do Reiki pode ser usado nas mesmas situações que o Primeiro Nível, exceto pelo fato de que, agora, podemos usar qualquer um dos símbolos para intensificar o efeito. Com esses símbolos aprendemos a fazer contato direto com a mente subconsciente e o Super consciente: o Segundo Nível pode nos ajudar a curar não apenas o próprio corpo (ou o de outra pessoa), mas também as emoções e a mente. Curar o corpo físico pode aliviar momentaneamente o mal-estar, mas no longo prazo é importante equilibrar todo o ser.


O Terceiro Nível

No seminário do Terceiro Nível, o estudante é iniciado no símbolo Mestre do Reiki. Há pouco a ser dito sobre o Terceiro Nível do Reiki, exceto que o símbolo Mestre nos liga conscientemente à centelha divina.

O que chamamos de centelha divina está além de todas as palavras e línguas. É o “ser” puro, o centro da existência, o qual só pode ser encontrado em absoluto silêncio, interior e exterior.

No Reiki tradicional este símbolo não existe e não é necessário ter um símbolo de “mestre", porque o título de "mestre" não é usado. O que é usado em vez disso é o título de "Shihan", que significa professor/instrutor e tem conotações estritamente técnicas. O assim chamado símbolo de mestre nunca foi usado pelos membros da Usui Reiki Ryoho Gakkai ou no Instituto de Reiki Hayashi. Em 1995 Frank Arjava Petter mostrou o símbolo para um dos seis Shihans da Usui Reiki Ryoho Gakkai, Ogawa Sensei, e ele nunca tinha visto esse símbolo. Mais tarde Chiyoko Sensei confirmou o mesmo. Hayashi Sensei não ensinou a ela.

É possível que o símbolo do mestre tenha sido introduzido no Reiki por Iris Ishikuro Sensei, uma prima de Takata Sensei, que era membro do clube Johrei. Originalmente o símbolo é um termo Zen budista e é amplamente utilizado na espiritualidade japonesa mas, como foi dito anteriormente, não tem nenhuma relevância em Reiki.


Grau de Professor

Os alunos que concluíram os níveis anteriores e desejarem dar aulas recebem treinamento de dois a três dias para aprender como sintonizar outras pessoas em todos os Níveis acima mencionados (algumas escolas de Reiki e professores ensinam apenas como sintonizar os dois primeiros Níveis).

Este programa é apenas do interesse das pessoas que desejam compartilhar o Reiki — e, portanto, elas mesmas — com os outros.

Entretanto, trabalhar como professor de Reiki não é a vocação de todo mundo e requer mais do que o conhecimento do processo de sintonização. De fato, é preciso ser um hábil comunicador, conselheiro e amante da humanidade antes de se começar a ensinar uma coisa delicada como o Reiki.

Acima de tudo, o professor de Reiki deve ter em mente que o relacionamento com o aluno é mútuo, e ambos devem estar impregnados de um sentimento de gratidão. Sem o professor, o aluno não pode aprender, mas, sem o aluno, o professor não pode ensinar!

Cabe aqui esclarecer que o termo “mestre” nunca foi usado pelo Dr. Usui, pois no Japão sequer se conhece esse termo. Takata usou esse termo quando começou a ensinar o primeiro nível de Reiki em 1970. Teria sido melhor se não o tivesse utilizado, já que, nas práticas espirituais, o conceito de “mestre” se aplica apenas a quem experimentou uma revelação, que constitui um acontecimento espiritual excepcional, dispensado apenas a poucos seres humanos. À medida que o Reiki e o grau de Mestre se tornaram mais conhecidos, algumas pessoas acharam por bem tornar equivalente o grau de Mestre de Reiki ao de Mestre Espiritual ou Mestre Iluminado. Assim surgiu uma idéia falsa sobre o estado espiritual de um Mestre de Reiki. Muitas pessoas, inclusive, quiseram obter o grau de Mestre de Reiki, não pela possibilidade de entregar algo valioso a outras, mas apenas pelo status social associado a ele.

Se no Ocidente fosse seguida a denominação Sensei para um professor formado no original primeiro nível de Reiki, o Reiki não teria alcançado essa aura de glorificação egocêntrica que nos rodeia a partir dos anos setenta, quando se começou a ensinar o grau de Mestre no Ocidente.

Conheça o conteúdo do programa de cada nível ensinado em nossos cursos.


Agenda

Conecte-se!

Rio de Janeiro RJ Brasil.

+55 21 99367-3594

contatorj@casadaenergia.com

Salvador BA Brasil.

+55 71 99204-9420

contatoba@casadaenergia.com

www.casadaenergia.com

Fale Conosco

CC-BY-SA 2004-2019 CASA DA ENERGIA. Conteúdo publicado sob Creative Commons | Produzido por Warp!